terça-feira, 1 de novembro de 2011

Resenha Zone-00 - Confusão, Amor e Ódio!!!


Olá leitores do OtakuYousai! Hoje, vim falar sobre um mangá que adoro: Zone-00. Então, por que "amor e ódio"? Bom, desde o lançamento do mangá em agosto, vi muitos posts e matérias em outros blogs/sites que deram má reputação a série. Prontos para compreender e, talvez, amar uma das séries que mais divide opiniões e merece devida atenção? Abra sua mente e se delicie com Zone-00!



Se situando
Zone-00 (ゾーンゼロゼロ) é um mangá shoujo (podia ser considerado seinen já que Elfen Lied é...), de Kiyo QJO, daqueles bem únicos, e que de tão únicos chegam a ser odiados (nota-se que não é o meu caso)... Zone-00 me impressionou pois conseguiu tirar o estigma que toda obra shoujo possui: grotas kawaii, rapazes adoráveis e perfeitinhos, quase bobos, com histórias superficiais que servem apenas para uma diversão descompromissada (pelo menos é a visão de quem não tem muito contato com o gênero). Pelo contrário, mesmo sendo um shoujo, o mangá tem uma boa dose de ação, comédia, é adulto, e isso tudo sem perder a essência do segmento.
Como foi dito, Zone-00 é adulto e tem cenas ecchi e com bastante fanservice, tanto feminino quanto masculino.  Coisa que, ao meu ver, não atrapalha (quem gostar de homens ou mulheres com pouca roupa nem vai ligar. hu hu hu), mas que pode incomodar otakus mais... "conservadores".
O mangá vem sendo publicado (profissionalmente) desde de 2006 pela editora Kadokawa Shoten e ganhou seu peimeiro volume encadernado em 2007.

Ficha técnica
Mangaka (desenho e roteiro): Kiyo QJO
Demográfico: Shoujo.
Gênero: ação, comédia, drama, terror, aventura, fantasia, ecchi, romance, adulto.
No Japão: Asuka Comics DX - 8 volumes e continua.
No Brasil: Panini Comics ( planet manga) - 2 volumes e continua - formato 13 x 18 tankoubon.
Fato curioso: Zone-00 teve seu primeiro volume concebido por Kiyo no de 2000 como um doujinshi. O autor estava desesperançoso quanto dar continuidade á obra. Foi então que em meados de 2006, seu editor concedeu a oportunidade de levar a série para a editora Kadokawa (onde trabalha com Trinity Blood desde 2000). Kiyo já havia perdido as esperanças com Zone porque acreditava que o mangá estava amaldiçoado (risos) devido o assunto sobre demônios, o sobrenatural e a presença dos números 4 e 9 nos nomes dos personagens principais, esses números não dão sorte, segundo crenças japonesas. O editor de Kiyo disse para ele publicar o volume 1 sem que fosse redesenhado. Sorte que esses obstáculos foram superados e hoje temos a obra em continua publicação!


Introdução:
Enquanto investiga o surgimento de uma nova droga (Zone-00), um jovem exorcista presenciará o renascimento de um mal antigo. Esse mal tem ligação direta com seu passado. Conseguirá esse jovem não se desviar de seu caminho e concluir seu objetivo, ou uma amizade falará mais forte?


Hora de entender o mangá!!!
Bom, para começo de conversa, você deve entender que Zone-00 é um mangá ABARROTADO (no bom sentido) de referências a lugares, a artistas japoneses ou mundiais, referências a mitologia japonesa e é um nonsense. Mas, não se preocupe, a edição nacional conta com um glossário (bem grande por sinal, bem típico da Panini.) que explica todos os termos, referencias e honoríficos que podem deixar um leitor inexperiente de mangás (cultura oriental em geral) muuuito atordoado.
Enfim, isso é papo pra daqui a pouco, vamos ao que interessa!

No começo do mangá somos apresentados a um garoto loiro que parece estar exorcisando uma criatura estranha. O garoto é Ango Shima, atual mestre do clã Shima que é autoridade em exorcismo, e está acompanhado de seu mordomo, Syaraku, que é um ciborgue e sua empregada, também um ciborgue, Hanabusa. No final dessa cena, vemos Mayoko Okino, a bruxa do oeste, sobrevoando o local em um esfregão com seu gato Koban a tira colo.
Na cena seguinte somos apresentados ao hiperativo Saburou Kujo, que é a reencarnação de um Oni muito poderoso. O primeiro encontro entre Kujo e Shima (ainda nessa cena) é engraçado pois, Kujo estava tendo um sonho de sua infância em que brincava de esconde-esconde -com uma citação ao fundo: “Disseram pra mim que, em esconde-esconde... Quem se esconde bem é, na verdade, um Oni...”-. Ele estava dormindo num duto de ar na escola e é encontrado por Shima. Kujo leva um susto ao acordar, pois ninguém nunca o havia encontrado enquanto brincava de se esconder. Então da uma cabeçada em Shima... Na sala de aula, o professor apresenta dois novos alunos: Shima e Mayoko. Shima fica maravilhado com a beleza dos dois, não só ele como todos da classe!
Na próxima cena, vemos um doberman e um gato preto -enfrente a uma loja chamada Gobi que tem um bar chamado Bar Benten no piso superior- falando sobre as calcinhas de suas donas (isso mesmo, falando!). São eles: Kurobee (cão) e Koban (gato). Nesse instante, chega Kujo e fica pentelhando os dois pra saber como eles falam. Durante a tortura, chegam suas donas: Hime Shirayuri (dona do cão), a bruxa do leste e Mayoko ou “Majoko” (dona do gato como podem notar no começo do capitulo).
Na outra cena os cinco entram na loja Gobi onde se encontra seu proprietário, Byakko, com seu “filinho”, Namakura (um ciborque muito parecido com Syaraku). Todos conversam sobre a chegada de um exorcista á cidade. Todos menos kujo que só boia e brinca com Namakura. Então a cabeça de Kujo é decepada por algo desconhecido. Na mesma hora Koban e Kurobee assumem suas formas humanas e seus nomes são revelados: Kurobee é Kurobara Renji e Koban, Senryou (eles e Byakko são mononokes*). Eles vão atraz da criatura que decapitou a cabeça de Kujo.
Logo em seguida, entra no estabelecimento o jovem Shima, acompanhado de Syaraku e Hanabusa, que aponta uma arma para a cabeça de Byakko ( que está com o corpo de Kujo em seu colo) e pergunta o que houve. Então, temos Kurobara e Senryou acompanhados de Namakura tentando acabar com o monstro que mesmo com a cabeça decepada consegue se regenar e não morre nunca.
Na cena seguinte, Shima leva uma cabeça na cabeça (Mayoko atira a cabeça de Kujo nele), então entra o dono do bar, Benten (também mononoke – não se engane, ele é homem. Um travesti hétero /o/), que diz que a “galera” não tem nada a ver com a morte de Kujo. Prova disso foi o instinto dos espíritos familiares das bruxas de atacar a criatura.
Nesse momento o ar fica denso, quase palpável, fenômeno chamado pelo autor de miasma. Então palavras que parecem indicar que algo está pra se libertar começam a ecoar e, Kujo revela sua real forma: o Oni Kiyoami, inimigo mortal do clã Shima. Então Kiyoami destrói a criatura que é um humano drogado com Zone-00 (assim como aquela que vimos Shima matar na primeira cena do capitulo).
Aí na cena seguinte vemos Kiyoami voltar a ser Kujo que desmaia (ele está nu)...
Na próxima cena temos outro mononoke, o detetive lobo: Murakumo. Ele diz sentir um cheiro estranho no ar, de algo que parece ser um perigo surgindo. Ele fala também sobre a droga Zone-00, e que só pode ser obra de mononokes. Por fim vemos Kujo, ainda desmaiado e sendo tratado pelos outros personagens!
[-FIM DO PRIMEIRO CAPITULO-]
Isso mesmo! Comentei apenas o primeiro capitulo ( compre o mangá e leia o resto
(RS)).
*o mangá tem uma seção de perfil dos personagens que não cabe explicar aqui.


Vamos a parte técnica!
sobrecapa do original
Em relação a aqueles termos, honoríficos e etc., a Panini manteve todos na versão brazuca para ficar o mais fiel possível (diferente de umas e outras que fariam adaptações absurdas) a obra original. Achei isso bem positivo que só reforça a qualidade atrelada a casa. E olha que vi muita gente reclamando...
Quanto a acabamento, é o padrão da editora. Possui 186 páginas em média (mesmo número aproximado ao original), lombada quadrada, e não possui páginas coloridas porque no original também não tem (/o/)!
capa da Panini
O ponto alto é em relação a capa editada pela Panini. Na edição japonesa, o encadernado possui sobrecapa (que nós não utilizamos no Brasil), e nessa sobrecapa temos a ilustração percorrendo todo o espaço ficando horizontal. Como não usamos sobrecapa aqui, a Panini optou por por deixar a capa (onde abrimos para começar a ler) exatamente como no original. Ou seja: a capa tem a metade superior da ilustração. E na contracapa, a Panini utilizou a imagem cheia na vertical. Tem também o interior de capa decorado como de costume. Lembrando que o logo é o mesmo que o do original.
Resumindo: a capa brasileira ficou muito f*** (a capa americana pela Tokyopop da vontade de vomitar)!!!



Conclusão!
Zone-00 é um mangá que vale muito a pena por ter uma gama enorme de personagens marcantes e história que vai só melhorando no decorrer da série, ficando mais consistente e viciante. Fora o traço de Kiyo QJO que é um colírio.
Meu conselho é: procure ler o mangá emprestado se você não tem certeza de que continuará comprando caso não goste; leia pelo menos os três primeiros volumes. O primeiro volume é amador e o artista foi melhorando e continua melhorando muito com o passar dos volumes.

Não deixem de comentar e divulgar o post. Até mais!!!







10 comentários:

Kazzinga disse...

eu particularmente ahcie mt confuso
não entendi nada do primeiro volume e se nao me engano e um pouko de shounen-ai.Mas bom saber que tem quem goste

Conde Drahgo disse...

Hahahah reclamação recorrente.
Primeiramente, obrigado pelo comentario.
Bem Zone-00 é meeesmo confuso mas esse agravante vai se dissolvendo.
O volume 2 permanece confuso pois, é uma continuaçao direta e fechada do #1. A história fica mais concisa, melhora, no #3 pois, temos vilões e mocinhos com papeis mais definidos e a história fica bem mais coerente.
Quanto ao shounen-ai. Sim, a obra tem fanservice shounen-ai mas tem shoujo-ai também. É bem democratico quanto a isso. Fora que tooodos os personagens são incriveis e muito bem construidos.
Vale a pena dar a devida atenção.
Fora que, junto com Blood Lad (em breve uma resenha desse que vos fala), é um mangá diferente de tudo que ja foi lançado por aqui até hoje e é bem desafiador =D

Anônimo disse...

eu adorei o mangá <3 é excelente, tem uma boa temática, personagens lindos,estilosos e bem construídos e como sou apaixonada por mitologia japonesa, a série é um prato cheio >D
realmente o volume 1 e 2 são beem confusos para os menos experientes, mas continua sendo um ótimo mangá , além da arte final que me deixa boquiaberta superando até mesmo a de Trinity Blood.

Conde Drahgo disse...

Falou e disse... pena que a grande parcela dos otakus não curtem Zone-00... por puro preconceito e recalque XD

lulu teem max disse...

Esse mangá é muito legal, eu amo a arte do kiyo quejo..ops Qjo..., mas eu adoraria que auguem me desse o link para baixarr o mangá T-T...

Conde Drahgo disse...

Lulu, sem querer te desanimar, o mangá é muito dificil de se achar on-line... Você consegue ler apenas até o cap 3 no Mangafox.me ou alguns capitulos que ainda não foram compilados em tankohon no site da asuka (web-asuka.jp)... Enfim, por que não compra o mangá? Aqui, pela panini, já está no volume 7!! Embora tenha entrado em hyato agora, vale a pena colecionar =). Abrass

Anônimo disse...

Aqui é o lulu do comentario acima. Eu comprei o volume cinco e sete no sebo, achei maravilhosa a historia, bruxas. Exorcistas. Espiritos familiares . Muito bom mesmo... Eu tbm desenho e admiro mt ele

Lett-chan disse...

Neh sei q demorei pra procura saber o pq a paninj nao continuo o manga, pq eu achei q tava parado la no japao >< mas eu vi la no cdjapan.co.jp q ja ta no volume 12 TT~TT vc saberia me responder pq a panini nao continuo o manga qndo ele volto a sai?

Lett-chan disse...

><

victória lopes disse...

O único problema é que a panini abandonou a publicação! Já se fazem anos que não publica uma edição e isso me deixa sinceramente maluca

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...